O programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida” foi criado em 2009 como incentivo à aquisição do primeiro imóvel, e foi relançado agora em 2023, após ter sido substituído pelo programa Casa Verde e Amarela durante o governo anterior.

Esse novo formato do “Minha Casa, Minha Vida” apresenta um modelo moderno e completo, que visa oferecer mais acessibilidade, sustentabilidade e melhores condições para os beneficiários.

E, nessa repaginação, o programa inclui famílias com renda mensal de até R$8 mil.

A nova versão também prevê a abertura de financiamentos para imóveis novos e usados em áreas urbanas e rurais, repasses para locação social e inclusão de famílias em situação de rua, enquadrando-se exclusivamente na Faixa 1.

De acordo com o Governo Federal, a meta é entregar cerca de 2 milhões de unidades habitacionais até 2026. E isso deve reduzir consideravelmente a escassez de moradias no país, além de gerar mais empregos e renda.

 

Minha Casa Minha Vida 2023: o que mudou e o que permanece

Se você está pensando em conquistar a casa própria, precisa conhecer as mudanças no programa “Minha Casa Minha Vida” – 2023.

Com sua retomada, muitas famílias podem ter a oportunidade de realizar esse sonho.

Veja o que mudou:

 

Renda Bruta Familiar

A principal mudança é a divisão do programa em faixas, que leva em conta a renda e a área onde a família reside.

Dessa forma, o programa possui três faixas urbanas e três faixas rurais:

  • Faixa Urbano 1: renda bruta familiar/mês até R$ 2.640 (anteriormente de R$ 1.800)
  • Faixa Urbano 2: renda bruta familiar/mês – R$ 2.640,01 a R$ 4.400
  • Faixa Urbano 3: renda bruta familiar/mês – R$ 4.400,01 a R$ 8.000
  • Faixa Rural 1: renda bruta familiar/ano até R$ 31.680
  • Faixa Rural 2: renda bruta familiar/ano – R$ 31.680,01 a R$ 52.800
  • Faixa Rural 3: renda bruta familiar/ano – R$ 52.800,01 até R$ 96.000

Valor Máximo do Imóvel

Outra mudança importante, também, é o aumento do valor máximo do imóvel financiado pelo programa, que varia de acordo com a localização da propriedade.

Agora, os valores são:

  • R$350 mil para todo o país, exceto São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília;
  • R$450 mil para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Subsídio

O subsídio é a parte do financiamento pago pela União por meio do projeto habitacional.

E em alguns casos, ele pode chegar a 95%, ou seja, a família paga apenas 5% do montante.

 

O que não muda no Minha Casa, Minha Vida

Apesar das atualizações, algumas vantagens permanecem, como o uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)como parte do pagamento do financiamento.

Além disso, a composição de renda e inclusão de dependentes continua sendo uma opção para aumentar o valor de subsídio e chances de aprovação do financiamento.

Se você está interessado em comprar um apartamento financiado pelo programa, a Treèle Construtora é uma parceira do “Minha Casa, Minha Vida” e pode te ajudar a realizar o sonho da casa própria.

Então, com opções facilitadas de pagamento, é possível parcelar o valor de entrada direto com a Construtora e diminuir o valor financiado junto à Caixa.

 

Conclusão

Portanto, a retomada do Minha Casa, Minha Vida é uma ótima notícia para as famílias que querem ter a casa própria.
Com a garantia de moradia, essas famílias podem construir um futuro melhor e mais estável, além de contribuir para a economia do país.

Então não perca mais tempo, fale agora mesmo com nossa equipe e realize esse sonho!

Quero saber mais sobre os empreendimentos da TREÈLE